Ibovespa: correção em breve?

A BOVESPA (assim como outros mercados) têm dado uma puxada forte desde março. Duas perguntas vêm à mente: por que e até quando.

Do extraordinário topo de 73 mil pontos, atingido em maio de 2008, o Ibovespa sofreu uma desvalorização de aproximadamente 60%, até outubro do mesmo ano. Em apenas cinco meses, este movimento apagou os lucros obtidos em 3 anos. Entretanto, com as recentes altas a bolsa já se recuperou, rompendo os 50 mil pontos, apesar de o ambiente econômico não estar favorável.

O aumento do investimento estrangeiro é um dos fatores que contribuiu para esta subida. Os investidores foram atraídos para a bolsa pela perspectiva de que países emergentes saiam da crise antes dos países ricos e, no caso particular do Brasil, também pela expectativa de que a diminuição dos juros atraia investidores institucionais (leia-se previdência privada) para o mercado de ações. Além disso, a entrada de capital estrangeiro fortalece o real, o que pode levar alguns investidores a abandonar o dólar e aplicar em ações, fortalecendo o movimento.

Até quando (e quanto), então, podemos esperar que a bolsa suba? Alguns economistas, como o famoso Nouriel Roubini, acreditam que o movimento já ultrapassou o que os dados econômicos sugerem. Estimativas para o PIB brasileiro apontam para crescimento nulo ou retração entre 1 a 2% para este ano. Não se deve esquecer que estamos atravessando um período pós-crise, e que os mercados tendem a demorar algo em torno de 2-3 anos para retomar uma tendência de alta após estes períodos. Vejamos o efeito da bolha da internet no Ibovespa: o topo foi atingido em março de 2000 (próximo de 19000 pontos, valorização de 250% em 2 anos e meio). O movimento de queda durou até outubro de 2002, quando se iniciou uma tendência clara de alta. Obviamente houve movimentos fortes de alta durante o período 2000-2002, mas no geral a tendência foi de queda. Note que o índice só voltou ao patamar de 2000 no final de 2003.

(clique para ampliar)

(clique para ampliar)

Acredito que o momento atual é similar a esses momentos após a bolha de 2000, ou seja, pode ocorrer uma correção em breve. Quanto à tendência, é arriscado fazer previsões devido à alta volatilidade. Mas, salvo o caso dos investidores que vão tentar explorar as tendências de curto prazo, eu ficaria fora do mercado de ações pelo menos até o fim do ano. Por outro lado, o momento atual é atraente para investidores de longo prazo (mais de 5 anos).

Anúncios